tu foste simplesmente à tua vida e eu fui à minha. como sabes, eu vivo por relâmpagos; contigo partilhei uma trovoada um pouco mais longa do que o habitual. foi apenas isso. de qualquer modo, a morte espreita sobre todos os prazeres dessa cronologia a que nos agarramos para escapar ao tempo. o que somos para além do que vamos sendo? o meu além eras tu - ímã da minha íntima, impessoal temporalidade. redenção dos males que me amputaram. tu. agora puro vapor do universo.


- Inês Pedrosa | Fazes-me falta (página 11)

Nenhum comentário: