31' dez. de 2010: penso no momento da paz. da constatação plena da paz. talvez haja outros tantos. talvez não. mas se houver, por acaso das motivações, alguma tristeza, que não dure, que não dure nada. que saiba passar sem criar raiz. eu voto no tempo. no tempo que se desdobra cheio de mistérios e me conhece na ansiedade. na pressa dos acontecimentos. torço sempre pelos acontecimentos e pela escolha certa. que eu saiba escolher, meu Deus. que eu saiba cheirar de perto o amadurecimento e olhar com firmeza o olho da vida.

Nenhum comentário: