6' mai. de 2010: eu amo e as vezes me calo. há um espaço de solidão em mim que é meu; uma espécie de terreno inabitável.

Nenhum comentário: