15:47h percebo que não pertenço. 15:48h uma angústica compreensível. 16h arrumo as malas. 16:31h conto com o sol. 17h a solidão dos dias nunca tão amiga. 17:02h quatro livros em movimento. 17:20h cansei das esperas. 17:39h a vida se expande. 17:40h gosto do meu tom sóbrio. 18h lucidez. 18:37h minha palavra sua. 18:49h falta ainda o movimento. 18:50h não se trata de uma sucessão de agoras. 19h a estrada é longa. 19:19h o ruído dos dias que passaram. 19:20h zero afetação. 20h as árvores inclinam diagonais ao vento. 20:17h me falta ainda um projeto sem caráter. 20:18h às vezes é necessário perder os escrúpulos. 21h meu corpo tem um novo tom. 21:21h me arde a ausência. 21:22h a ausência é um estar em mim. 21:33h não se trata de uma falta estrutural. 22h a palavra é disfarce de uma coisa mais grave. 22:51h eu ainda quero a presença pura. 23:03h ménage à trois na tv. 23:04h a frivolidade é salutar. 23:05h meu moralismo ressoa. 23:43h as pessoas passam sem nenhum pudor. 23:44h eu passo sem nenhum pudor. 00h amor é o que se aprende no limite. 00:20h a exatidão não está para mim. 00:34h idealizo a totalidade das coisas. 00:35h confesso, se trata de um ideal. 00:58h conto com a terrível necessidade do lastro. 00:59h o lastro do real, eu acho. 01h o lastro do concreto. 01:11h jamais me repito outra vez. 01:12h o cansaço dos retornos fadiga. 01:13h as pessoas são perecíveis. 01:21h eu quero a transposição. 01:42h o passado precisa encontrar o seu lugar. 01:43h teorizo a respeito sem preocupação. 01:44h amanhã não sei, não sabemos.

Nenhum comentário: