6' out. 2008: mil léguas submarinas depois e ainda olhamos as pessoas solitárias. somos tão enormes nessa coisa de sentir que a madrugada não se explica. de repente, minha percepção disforme explicitada no espaço de palavra dele. ele me entende de um jeito que eu nem sei.

Nenhum comentário: