19' out. 2008: eu o beijo e me elevo sem metáforas. o fêmur dele é maior que o meu, repito sem afeto algum. a mão dele na minha cintura sentindo minha pele arrepiada do frio da madrugada. a rua silencia enquanto o sinal oscila e eu decido se vou ou se fico. a reflexo da vitrine me entrega. minha boca afetada da barba roçando por cima do meu batom. te olho. me molho.

Nenhum comentário: