22' mai. 2008: pensei em todas as histórias que pretendem o real. e sempre finalizam no trágico, no anti-romântico. todas as histórias de amor são ridículas (porque além de ridículos, somos covardes). parafraseando as cartas- eu não as escrevo mais.

Nenhum comentário: